sexta-feira, 20 de julho de 2018

How It Ends


A Netflix parece ser o novo poiso de abrigo para todos os filmes apocalípticos, e ainda bem que assim é. Se nem todos têm qualidade suficiente para ficar na memória, felizmente há outros que o fazem, como é o caso deste How It Ends.

Um estranho acontecimento corta as comunicações com a costa oeste dos EUA, deixando um jovem casal separado quando ele estava perto de casa dos pais dela. Com todos os voos cancelados e com as estradas a serem cortadas, o pai decide partir em busca da sua filha com o seu genro (que não aprecia particularmente) a seu lado.

Com Theo James (da série de filmes Divergent) e Forrest Whitaker (que dispensa apresentações) como dupla de protagonistas, estamos perante um filme que não perde tempo com as habituais explicações do que está a acontecer, ao invés colocando-nos precisamente na situação de desconhecimento que se estaria naquelas circunstâncias: terá sido um ataque nuclear, ou de extra-terrestres, ou um astróide prestes a extinguir a vida na Terra? As perguntas vão indo e vindo à medida que outras prioridades vão surgindo, como a necessidade de encontrar gasolina, de lidar com todas as ameaças com que se vão deparando, como já é habitual nos cenários pós-apocalípticos, onde nem sempre as coisas são como parecem ser.

!!!SPOILERS AHEAD!!!

O filme está a ser trucidado no IMDB por "não ter fim", pois aparentemente os espectadores norte-americanos não concebem poder ver um filme que não lhes explique porque motivo as coisas acontecem. Existem diversas teorias a circular na net, e pensar nas possíveis causas é um dos pontos positivos do filme; mas o filme termina deixando-nos exactamente na mesma situação que nos colocou desde o início, de que na verdade somos meras "formigas" a habitar neste calhau cósmico a girar em torno do Sol, e completamente irrelevantes e inconsequentes a esta escala das coisas.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails