sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Everest

Os filmes sobre montanhismo adaptam-se particularmente bem ao "grande ecrã", mas no caso de Everest isso aplica-se ainda melhor ao ser visto em IMAX.
Everest é baseado em factos reais, e coloca-nos bem no meio de uma expedição que tenta atingir o cume do Everest com os seus altivos 8848m, o ponto mais elevado do planeta. No entanto, ao contrário de outros filmes que nos recontam as dificuldades de atingir o pico de um montanha pela primeira vez, desta vez estamos numa fase em que esta aventura já está fortemente comercializada, quase se assemelhando a uma simples atracção turística, onde basta pagar o preço do bilhete para ter direito a lá chegar com todas as ajudas.

... Mas depressa vemos que não há facilidades, e que mesmo com todas as ajudas a natureza pode fazer com que, numa questão de poucas horas, tudo mude - e aí, descobrir-se como umas poucas centenas, ou até dezenas, de metros se podem tornar numa barreira quase intransponível que pode ser a diferença entre a vida e a morte.

Everest é um filme que por diversas vezes nos vai deixar "cansados", transmitindo bem o esforço a que o simples acto de caminhar (ou até pensar) obriga; e o ecrã IMAX ajuda a dar uma sensação da gigantesca escala que é um pico com mais de 8800 metros de altura. Por outro lado, fiquei surpreendido por não terem apostado mais em cenas que nos dessem uma melhor sensação da "vertigem" que será estar numa destas montanhas - há algumas cenas que o fazem, mas são poucas, demonstrando bem que não é nisso que o filme se quer focar... mas sim naquelas pessoas, que por um qualquer motivo, se sentem atraídas pelo desejo de chegar... mais alto.

Um excelente que servirá de homenagem a todos os que já perderam a vida ao tentarem concretizar os seus sonhos.


Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails